Sábado, 25 de Junho de 2022
17°

Céu encoberto

São Paulo - SP

Entretenimento Estilo de Vida

Setor de odontologia deve movimentar US$ 35,7 bi até 2023

Pandemia impactou o setor de odontologia, que se adaptou para continuar operando durante o confinamento; especialista comenta panorama e perspectiv...

25/05/2022 às 13h11
Por: Penha News Fonte: Agência Dino
Compartilhe:
Foto: Reprodução
Foto: Reprodução

Para empresários e profissionais do mercado odontológico mundial, o que não faltam são motivos para sorrir. Puxado por elementos como a procura por cuidados de higiene bucal, os avanços tecnológicos da indústria e a crescente busca por procedimentos estéticos dentários, o segmento segue em crescimento contínuo, conforme expõe o balanço da companhia irlandesa Research and Markets.

De acordo com o levantamento, o mercado deve movimentar, a nível global,  quase US$ 35,7 bilhões (R$ 181,16 bilhões) até 2023 - uma alta média de 5,59% desde 2018. De forma paralela, resultados da Abimo (Associação Brasileira da Indústria Médica, Odontológica e Hospitalar), indicam que cerca de 12 milhões de brasileiros buscam um dentista atentos a diversos fatores, como melhora da saúde bucal e da autoestima.

Para o Dr. Rogers Amadeu de Andrade, ortodontista da Rede Odonto - franquia de clínicas odontológicas - em um recorte nacional, a odontologia está vivendo uma das melhores fases. “Com mais tecnologias aplicadas aos tratamentos e materiais de alta qualidade, os resultados entregues aos pacientes são extraordinários. Além do mais, temos visto a valorização da odontologia perante a sociedade e a outros profissionais da área da saúde”.

Na visão de Andrade, o mercado de odontologia brasileiro, no momento de um iminente fim da pandemia de Covid-19, está vivenciando um dos melhores momentos, depois de um período “duro” durante a atual crise sanitária. 

Segundo estudo realizado pela UFPel (Universidade Federal de Pelotas), o número de consultas odontológicas caiu de forma significativa ao longo da crise sanitária. A redução foi de 80% e 30% na rede pública e privada, respectivamente. Paralelamente, a “Pesquisa Nacional de Saúde” mais recente, realizada pelo IBGE (Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística) em 2019 e divulgada em 2020, apontou que menos da metade dos cidadãos (49,4%) procurou o dentista em um intervalo de 12 meses, visto que o recomendado seria a cada 6 meses em situações normais. 

“Tivemos um período conturbado devido à pandemia, mas conseguimos seguir com os atendimentos neste período, observando todos os protocolos exigidos, a fim de garantir o melhor atendimento aos consumidores”, esclarece Andrade.

Na “pós-pandemia”, na análise do ortodontista da Rede Odonto, os brasileiros devem se tornar ainda mais preocupados com a estética. “O uso das máscaras de proteção facial tirou uma das maiores qualidades dos brasileiros, que é a nossa alegria de sorrir. Agora é hora de cuidar do sorriso”.

Entre os procedimentos mais procurados hoje em dia, Andrade destaca que a ortodontia ajuda os pacientes que buscam um sorriso mais alinhado. “Tratamentos com lentes em porcelana e resina também auxiliam bastante na estética do sorriso e são bem procuradas. Além disso, implantes sempre tem uma boa procura por auxiliar na volta da função mastigatória, perdida pela falta de algum dente”, conclui.

Para mais informações, basta acessar: https://www.redeodonto.com.br/